Ciência para o amanhã

Publicada em
30 de março de 2017

A capacidade de inovação dos jovens que se dedicam a fazer ciência no Brasil, o empreendedorismo no meio científico e as soluções encontradas para o reconhecimento da pesquisa serão temas do seminário “Ciência para o Amanhã – Caminhos da Ciência, Tecnologia e Inovação para a Juventude”, que será realizado dia 11 de abril, no Museu do Amanhã. O encontro, aberto ao público, vai reunir experiências bem-sucedidas de estudantes, pesquisadores e educadores, em painéis e mesas-redondas no auditório do Museu, com entrada franca.

As inscrições podem ser feitas no site www.cienciaparaoamanha.org.br. O evento está sujeito à capacidade do auditória. Haverá transmissão via streaming do Canal Futura, no site www.futura.org.br.

Vencedores do Prêmio Jovem Cientista, iniciativa que estimula a pesquisa, revela talentos e investe em estudantes e jovens pesquisadores que buscam soluções para os desafios do país, vão dividir a programação com youtubers que popularizam a ciência na web, pesquisadores, educadores e jovens empreendedores que desenvolvem projetos nos variados ramos da ciência.  (Confira abaixo a programação completa).

O fomento do debate sobre Ciências, Tecnologia e Inovação no contexto da juventude é um movimento que indica a valorização da pesquisa e do pesquisador; caminhos que impactem positivamente o ensino de ciências; e a reflexão para proposição de diferentes modos de apoio à consolidação dos processos de inovação, frutos do investimento em pesquisa científica”, diz Georgia Pessoa, gerente geral de Meio Ambiente da Fundação Roberto Marinho.

“As grandes nações promovem investimentos relevantes em ciência, tecnologia e inovação que geram impactos positivos em temas fundamentais também para o Brasil, como saúde, energias renováveis, sustentabilidade e telecomunicações. Este é o caminho: com mais recursos para inovação, nossas empresas serão capazes de transformar de verdade o nosso futuro”, analisa Marcos Cintra, presidente da Finep.

O Seminário “Ciência para o Amanhã – Caminhos da Ciência, Tecnologia e Inovação para a Juventude” é uma realização da Fundação Roberto Marinho e do Museu do Amanhã, com patrocínio da Finep.

Filtro feito com caroço de açaí, ensino de Química a partir da tragédia de Mariana e satélite criado em sala de aula são algumas das experiências que serão compartilhadas no Seminário. A jornalista Fernanda Gentil é uma das mediadoras

O seminário começa às 9h30, com participação do diretor do Microsoft Advanced Technology Labs no Brasil, Luiz Sérgio Pires, e do cientista-chefe da Microsoft, Henrique Malvar, primeiro vencedor do Prêmio Jovem Cientista, que participará por videoconferência. Os dois vão debater a importância do reconhecimento da pesquisa científica no estímulo para o empreendedorismo, a inovação e as carreiras na ciência.

Em seguida, no painel “A ciência inspirando jovens brasileiros”, mediado pela jornalista e apresentadora Fernanda Gentil, jovens de todo o país apresentam projetos inovadores – desde um filtro de purificação de água que usa caroços de açaí, desenvolvido pelo paraense Edivan Nascimento, vencedor do Prêmio Jovem Cientista em 2013; até uma fita feita com filtro de café que indica para o consumidor se há substâncias tóxicas no leite, criação da gaúcha Joana Pasquali, vencedora do prêmio em 2015.

Há ainda experiências como a da carioca Lorrayne Isidoro, estudante do Colégio Pedro II, única brasileira a participar da Olimpíada Internacional de Neurociência, e do estudante de Engenharia Química Cristian Westphal, criador do canal “Ciência e Astronomia”, que divulga informações científicas na web.

À tarde, o evento traz o tema “Educação para ciências – inovando no contexto brasileiro”, com casos bem-sucedidos de educação científica no Brasil, como o trabalho do professor Wemerson Nogueira – indicado ao Global Teacher Prize, considerado o Nobel da Educação –, que ensinou Química a partir do impacto da tragédia de Mariana (MG) sobre o Rio Doce; o projeto do Distrito Federal que ajudou jovens de Unidades de Internação de Adolescentes a chegar à universidade; e o satélite UbatubaSat, lançado ao espaço por alunos de uma escola pública de Ubatuba.

Fechando o dia, serão debatidos alguns dos desafios da ciência no Brasil, no painel “Inovação à Brasileira – estímulo ao empreendedorismo no contexto científico”. Especialistas em empreendedorismo dentro e fora do ambiente acadêmico conversam sobre oportunidades para inovar e como unir ciência e sustentabilidade, não só no contexto urbano, mas em ambientes como a Floresta Amazônica.

 

SERVIÇO:

Seminário “Ciência para o Amanhã – Caminhos da Ciência, Tecnologia e Inovação para a Juventude”

Dia 11 de abril, das 9h às 17h

Museu do Amanhã. Praça Mauá 1, Centro

Evento gratuito e aberto ao público. Sujeito à lotação do auditório

Inscrições pelo site www.cienciaparaoamanha.org.br

Transmissão via web: www.futura.org

Realização: Fundação Roberto Marinho e Museu do Amanhã

Patrocínio: Finep – Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – Governo Federal

 

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

9h – Boas vindas

 

9h30 às 10h – Painel Principal:

A importância do incentivo à ciência e à pesquisa no Brasil. A experiência do Microsoft ATL no Rio de Janeiro e a inovação de seus jovens pesquisadores.

Henrique Malvar (por videoconferência)

Primeiro vencedor do Prêmio Jovem Cientista (1981), é cientista-chefe da Microsoft. Ph.D. em engenharia elétrica e ciência da computação pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Luiz Sérgio Pires

Diretor do Microsoft Advanced Technology Labs – Rio de Janeiro.

Formado em Ciência da Computação pela Universidade de Wisconsin, com pós-graduação em Ciência da Computação e MBA pela Universidade de Minnesota.

 

10h às 12h45

A Ciência inspirando Jovens Cientistas brasileiros

No painel, jovens cientistas compartilham conhecimentos e experiências, a partir de iniciativas desenvolvidas por eles.

Moderação: Fernanda Gentil (jornalista e apresentadora)

 

10h às 10h20 –Joana M. Pasquali (RS)

Vencedora do Prêmio Jovem Cientista na categoria Estudante do Ensino Médio (2015). Criou fita, feita com filtro de café, que detecta substâncias tóxicas no leite.

10h20 às 10h40 –  Lorrayne Isidoro (RJ)

Aos 17 anos, foi a única representante brasileira na Olimpíada Internacional de Neurociência. Arrecadou dinheiro para viagem em campanha na internet.

10h40 às 11h – Edivan Nascimento (PA)

Primeiro colocado do Prêmio Jovem Cientista na categoria Ensino Médio em 2013, desenvolveu filtro de purificação de água com o uso de caroços de açaí.

11h às 11h20 – Cristian Westphal (SC)

Comanda o “Ciência e Astronomia”, canal com informações científicas na web. Atua também com escolas e o público em geral, disponibilizando telescópios para observações em praças.

11h20 às 11h40 – Bárbara Cardoso (SP)

Venceu o Prêmio Jovem Cientista 2015 na categoria Mestre e Doutor, com pesquisa sobre a relação entre o consumo de castanha-do-Brasil e a prevenção ao mal de Alzheimer.

11h40 às 12h – Raíssa Müller (NY)

Criou filtro para limpeza de rios e oceanos, um dos cinco projetos selecionados para a iniciativa Village to Raise a Child, da Universidade de Harvard. Hoje estuda na Universidade de Yale.

 

12h às 12h35 – Debate entre os painelistas da manhã.

 

12h45 às 14h – Intervalo

 

14h às 15h30

Educação para Ciências: Inovando no contexto brasileiro

Debate com educadores que inovaram e impactaram o interesse de seus alunos.

Moderação: Cecilia Leite Oliveira (Diretora do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT).

 

Clayton Meiji Ito (Professor de Matemática – Unidades de Internação de Adolescentes em Medidas Socioeducativas – Planaltina DF)

Transformou o ensino de matemática nas escolas das Unidades de Internação de Adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no Distrito Federal. Criou atividades que podem ser utilizadas em qualquer contexto, como o ensino através da encenação teatral do livro “O homem que calculava”, de Malba Tahan.

Cândido Oswaldo Moura (Professor de Matemática – E.M. Tancredo Neves / Ubatuba – SP)

Desenvolve o projeto de iniciação cientifica Ubatubasat com alunos do Ensino Fundamental. A escola lançou um satélite e foi incluída no programa de apoio aos satélites universitários da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Wemerson Nogueira (Professor de Ciências – E.M. / Boa Esperança – ES – Educador nota 10)

Promoveu o estudo da Tabela Periódica a partir da análise da contaminação do Rio Doce após o rompimento da barragem em Mariana. Os estudantes analisaram o impacto sócio-ambiental do desastre e desenvolveram um modelo de filtro que auxilia a limpeza da água.

 

15h30 às 17h

Inovação à brasileiraEstímulo ao empreendedorismo no contexto científico.

Os caminhos para inovação e empreendedorismo científico no Brasil, seja pelo fomento à inovação através de instituições como universidades, seja por iniciativas pessoais de financiadores. A experiência de realizadores de sucesso, com a moderação de uma experiente promotora do empreendedorismo social.

 

Moderação: Cindy Lessa (C.A. Lessa & Consultores Associados para o Setor Cidadão. Foi diretora da Ashoka Brasil e do Instituto Synergos)

 

Guy Perelmuter (GRIDS Capital).

Há 16 anos “caça” empresas inovadoras para investir com seus recursos pessoais. Tem mais de 20 empresas de inovação e tecnologia no portfólio. Um dos primeiros vencedores do Prêmio Jovem Cientista, debaterá a importância do investimento privado em inovação.

João Gabriel Hargreaves (Instituto Genesis/PUC-RIO)

Diretor do Instituto Genesis/ PUC- RIO, é graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade de Brasília – UnB. Falará sobre o apoio à inovação no modelo de incubadora de startups vinculado às universidades brasileiras, apresentando cases de sucesso do Instituto Genesis.

Beto Veríssimo (Centro de Empreendedorismo da Amazônia)

O Centro de Empreendedorismo da Amazônia é uma associação da sociedade civil sem fins lucrativos que articula o ecossistema de negócios rurais sustentáveis na Amazônia. Beto apresentará como inovação e empreendedorismo dialogam com a criação de políticas públicas favoráveis à promoção dos negócios sustentáveis, com foco na área rural na Amazônia.

 

17h

Final
Encerramento com a gerente de Meio Ambiente da Fundação Roberto Marinho, Georgia Pessoa.