Aprendiz Legal forma 12 turmas em 2014

Publicada em
6 de fevereiro de 2015

Em 2014, 12 turmas do Aprendiz Legal concluíram o ciclo de aprendizagem em nove estados brasileiros – Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Atualmente, mais de 80 mil jovens participam do programa, que conta com uma rede de 14 mil empresas parceiras e mais de 300 unidades de capacitação.

 

De acordo com a meta do Plano Nacional da Aprendizagem Profissional, adotado pelo Ministério do Trabalho e Emprego em 2012, cerca de 1,2 milhão de jovens devem ser contratados até 2015 na condição de aprendizes. Com o objetivo de ampliar o acesso dos jovens à qualificação profissional e às oportunidades de emprego, o Aprendiz Legal é responsável por aproximadamente 25% do total de aprendizes contratados no país até o momento.

 

“Com o Aprendiz Legal consegui o meu primeiro trabalho. Com meu primeiro salário tive orgulho de mim mesma, você se sente independente. Quando você começa a trabalhar, vê de perto um mundo que você desconhecia. É muito bom e gratificante aprender coisas novas, sair da teoria”, diz a aprendiz Thalita, de 18 anos.

 

Com 10 anos de atuação, o Aprendiz Legal oferece formação profissional básica com foco na preparação e inserção de jovens, com idade entre 14 e 24 anos, no mundo do trabalho. Em parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e com a Gerar, os aprendizes frequentam curso teórico, com metodologia desenvolvida pela Fundação Roberto Marinho, e são encaminhados para experiência prática nas empresas parceiras do programa. O ciclo de aprendizagem tem duração de até dois anos.

 

“O aprendiz legal é um programa que nasceu para ocupar uma lacuna que o país apresentava. Muito se investiu na educação básica e se percebeu a necessidade de, junto com essa escolaridade, associar a qualificação profissional e preparar para o mundo do trabalho”, explica o coordenador de projetos da Fundação Roberto Marinho, Marcelo Bentes. “Os jovens ingressam no mercado de trabalho com todo um suporte. Eles tem um suporte pedagógico, um suporte de assistência social e o apoio da empresa”, completa.

 

DSC00632

 

O Aprendiz Legal também auxilia as empresas, principalmente as de médio e grande porte, a cumprir a cota de contratação de aprendizes, exigida pela Lei 10.097, de 2000. Segundo a legislação, a contratação de aprendizes deve corresponder a uma cota de 5% a 15% do quadro de funcionários qualificados. O programa está presente em 25 estados e no Distrito Federal, oferecendo cursos em 11 áreas de atuação, como ocupações administrativas, comércio e varejo, logística, auxiliar de produção industrial e turismo e hospitalidade.

 

 

Saiba mais, siga e compartilhe informações sobre o Aprendiz Legal:

www.aprendizlegal.org.br

www.facebook.com/ProgramaAprendizLegal

www.twitter.com/AprendizLegal