Florestabilidade

O Florestabilidade foi criado para despertar o interesse dos jovens pelas oportunidades de carreira e empreendedorismo florestal e fortalecer as capacidades da assistência técnica rural na Amazônia. Assim, contribui com uma cultura que valoriza a floresta em pé.

Conheça

A solução para evitar a degradação da Floresta Amazônica está no uso sustentável de suas riquezas. Para isso, é preciso haver pessoas interessadas na gestão dos recursos naturais, capazes de usar as técnicas adequadas de uso e conservação.

Hoje, o Florestabilidade está presente em seis estados – Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará e Rondônia. O projeto é implementado de duas maneiras. Uma delas se dá em parceria com secretarias estaduais e municipais de educação, com a formação e o acompanhamento de professores da educação básica, que facilitam a aprendizagem dos alunos sobre a gestão das florestas. Desde 2012, mais de três mil professores foram formados e cerca de 30 mil estudantes já estudaram seu conteúdo.

O Florestabilidade também é implementado em parceria com órgãos ambientais e de assistência técnica, como secretarias de meio ambiente, empresas de extensão rural e institutos estaduais de floresta. Juntamente com o Serviço Florestal Brasileiro, o programa desenvolve recursos pedagógicos para a formação continuada de extensionistas. O foco da aprendizagem está nos desafios enfrentados pelos extensionistas em seu dia a dia: ajudar o produtor a identificar a vocação produtiva da floresta; fazer a regularização ambiental do imóvel rural; estruturar a comercialização de produtos florestais; promover a organização social de comunidades ou ajudá-las a fazer o controle da produção florestal.

Para desenvolver o conteúdo do Florestabilidade, a Fundação Roberto Marinho conta com a colaboração de um conjunto de especialistas e instituições dedicados ao manejo da floresta, entre eles o Instituto Floresta Tropical (IFT), o Imazon, o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) e o Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB). O kit pedagógico para as escolas inclui conteúdos sobre a ecologia da Amazônia, o manejo de produtos madeireiros e não madeireiros, os serviços ambientais, o uso múltiplo da floresta, além de exemplos de profissões ligadas à gestão e à pesquisa florestal. Os materiais estão em diversos formatos: videoaulas, programas de rádio, livros e jogo. Todos os materiais estão disponíveis no site do programa.

O Florestabilidade, lançado em 2012 em parceria com o Fundo Vale, atualmente tem como parceiros a Good Energies Foundation e o Serviço Florestal Brasileiro. No programa, concebido com base na metodologia Telessala, saberes populares e científicos se complementam. O material utilizado nas aulas e as oficinas de formação reúnem a experiência de comunidades ribeirinhas, extrativistas, indígenas, pesquisadores e empresários da floresta, que vivem em diversas configurações fundiárias da Amazônia.

Formação de extensionistas
Óleo de copaíba: produto da floresta
Extração do açaí é tema de aula
Manejo de produtos madeireiros
Manejo de produtos não-madeireiros
Biojoias: exemplo de uso da floresta
Formação de professores
Desenvolvimento de casos de ensino
Aplicação do Florestabilidade na escola
Saiba mais
Estudantes vão ter aula sobre manejo florestal nesta sexta-feira, durante seminário da Universidade Federal do Pará
Professores dos municípios de de Marabá, Conceição do Araguaia, Portel e Tucuruí receberão formação do projeto
Parceiros